sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Editando vídeos

Escrito por Denise Desiderio

Olá professores,
         Este post é para contar minha experiência com edições de vídeo. Até pouco tempo eu ficava refém de vídeos feitos por outras pessoas e que muitas vezes não atendiam as necessidades do conteúdo que eu precisava apresentar.
         O material áudio visual é extremamente importante quando falta bagagem para que o aluno consiga abstrair e imaginar uma época, situações, formas... Neste caso, vídeos, fotografias, músicas podem ser o recurso perfeito.
         Decidi então me aprimorar na arte de editar vídeos.
         Assisti algumas aulas com o Paulo que me ajudaram muito. O mais interessante é que depois que aprendi a mexer no programa surgiram várias idéias do que fazer, qual material usar, quais temas abordar e em quais momentos, tudo ficou muito mais claro e a minha criatividade aflorou .
         Hoje utilizo este recurso tanto em sala de aula, editando trechos de filmes que quero que os alunos assistam, inserindo comentários e imagens relacionadas. Gravo algumas de minhas aulas e disponibilizo para os alunos. Gravo até mesmo em minha casa e posto na página que criei para as minhas turmas no facebook.
        O recurso foi um sucesso, os alunos comentam na rede social, respondem as atividades propostas, fazem download dos vídeos para relembrar a matéria na semana de avaliação

        Sem dúvida é um excelente recurso para todas as disciplinas. E se você está preocupado com o seu tempo para fazer as edições, pare agora com essa ansiedade.  É rápido e divertido editar um vídeo. Dependendo do seu objetivo , você pode terminar uma edição em menos de uma hora.

                Que tal tentar? 

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Sobre a proibição dos celulares nas escolas.

         Enquanto o mundo encontra cada vez mais utilidades para os aparelhos celulares, nosso país preocupa-se em proibi-lo nas salas de aulas de diversos estados com o raso pretexto de que o aparelho interfere nas aulas.

         O caminho deveria ser outro, incluir o celular no currículo escolar. Os aparelhos celulares atualmente, especialmente os smartphones, que são os aqueles celulares com sistema operacional, tem inúmeras funções que podem ajudar nas salas de aula.
         Com um celular é possível se conectar à internet, gravar videos e sons, produzir podcasts(arquivos de áudio que são transmitidos pela internet), tirar fotos além de escrever, editar, armazenar e compartilhar textos e ainda abre a possibilidade de compartilhar todas estas informações com pessoas de diversas partes do país e até do mundo.
         Uma ferramenta assim não pode simplesmente ser trancada do lado de fora de uma escola que pretende formar um cidadão ativo para uma sociedade que vai cobrar dele justamente este tipo de conhecimento.
       
Clique aqui e veja a lista de cidades brasileiras que proíbem
 o uso de celulares em sala de aula e suas respectivas leis.
         O projeto de lei 2246/07(clique aqui para saber mais) vai ainda mais longe. Nele o redator, o Deputado Pompeo de Matto (PDT-RS), alega que além de ser motivo de disputa entre colegas por status, o celular é o responsável por fazer chegar aos alunos de violência e pornografia.
         O que preocupa é que este também é o pensamento de muitos professores. Com certeza cedo ou tarde todos vão aceitar que o celular é uma ferramenta extremamente útil para o processo de aprendizagem, mas proibindo oficialmente alunos e até professores de usarem celular é dar dois passos pra trás.

         Me parece claro que alunos sempre causaram uma certa desordem em sala de aula e pelo menos eu pessoalmente, não vejo um aumento dessa desordem por conta dos celulares e sim uma mudança no modus operandi do alundo. Se hoje ele manda SMS, ontem ele mandava bilhetinho, se hoje eles ouvem música, ontem eles cantavam, se hoje eles recebem ligações, ontem eles gritavam, arrastavam cadeiras e outras coisas mais.Além disso diversos artigos acadêmicos sobre utilização de celulares em atividades em sala de aula, claramente nos informam que o rendimento do aluno aumenta quando esta ferramenta está inclusa na atividade pedagógica. Portanto me parece claro que os professores atualmente precisam de capacitação para utilizar e gerenciar o uso de celulares em sala de aula.
         Eu e Denise permitimos o uso do celular em sala de aula, mas conhecemos professores por exemplo, que dão uma aula por semana liberdade para os alunos manterem os celulares ligados após as explicações. Conhecemos um professor de matemática que viu grande aumento no rendimento dos alunos quando permitiu que fizessem exercícios com fones de ouvido. Eles se concentravam no que estavam fazendo, não havia conversa paralela e o exercício é feito com mais qualidade e mais rápido.
         Existe inclusive um documento da Unesco incentivando a utilização dos celulares em sala de aula. Falamos sobre isso em outro post.
Documento da Unesco sobre uso de celulares por professores.
Um dos tópicos é a falta de capacitação dos professores para atuar com as novas tecnologias.
Clique aqui par ver mais.
         Sabemos que não podemos esperar muito dos governos federais e estaduais e por isso mesmo devemos sempre cobrar; porém devemos também procurar nos aprimorar para procurar compreender melhor o mundo que nos cerca para que possamos tomar iniciativas para melhorar a nós mesmos e à sociedade.

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Projeto "Escola com Celular"

         Hoje gostaria de falar sobre um projeto muito legal do qual tomamos conhecimento. É um projeto que inclui cerca de 25 escolas dos municípios de Caraguatatuba e de São Vicente no estado de São Paulo.
Clique na imagem evisite o site do projeto

         Trata-se de um projeto grande e bem estruturado, organizado por um convênio entre as prefeituras destas duas cidades e a Fundação Vanzolini.
         Consiste em treinar os professores para utilizarem celulares em suas aulas de diversas formas, com foco em sustentabilidade. Os alunos tiram fotos, filmam e colhem informações através
de notas e entrevistas. Os resultados irão alimentar um banco de dados sobre várias informações relevantes colhidas pelos mais de 3000 alunos que participam do projeto. Tudo isto acontece dentro de uma rede social própria, onde estes milhares de alunos e mais de 300 professores podem interagir e conversar sobre temas e ações relevantes.
       
  Desta forma, uma grande quantidade de informações poderá ser compartilhada, uma forma poderosa de educação, pois auxilia na criação de um pensamento crítico, além de possibilitar discussão e assim enriquecimento através da troca de ideias.


“Num mundo altamente tecnológico, queremos nos aproximar mais dos alunos com as linguagens que eles mais usam. Mais que um objeto de desejo, o celular pode ser empregado como meio de integração, socialização e aprendizagem”
Gilceli de Oliveira Ubinã, Supervisora de ensino participante do projeto.

“ Aqui são disponibilizadas webaulas e sugestões de atividades com diferentes dispositivos tecnológicos, especialmente o celular, textos e fóruns mediados por tutores especialistas. O objetivo do curso é apoiar o professor a implementar o projeto na escola e constituir um espaço de compartilhamento de experiências.”
Prof ª Dr ª Beatriz Scavazza


        Imaginem a quantidade de informações este projeto é capaz de levantar, e com ela, a capacidade de ação seria muito maior pois é um convênico com a prefeitura. Esperamos que o projeto prospere e dê bons frutos.
        Mais um fantástico exemplo de uso inteligente dos celulares nas escolas.

        O que achou?

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Construindo Aplicativos

         Como prometido, um post sobre CRIAÇÃO DE APLICATIVOS PARA QUEM NÃO TEM NENHUM CONHECIMENTO EM INFORMÁTICA.
         Já falamos sobre a existência de aplicativos educacionais, porém ressaltaremos novamente a inconveniência destes apps de não serem personalizados para as necessidades de todos os professores.
         Conheceremos neste post um dentre muitos sites construtores de aplicativos.
         A fábrica de aplicativos oferece uma lista de funcionalidades para que você escolha uma ou várias e possa montar um aplicativo de verdade e compartilhar com quem quiser. Existe também uma função paga em que você define como quer e a equipe do site monta o aplicativo para você. Mas não é nisso que estamos interessados agora.
         Ao entrar no site e clicar no botão FAÇA VOCÊ MESMO, você começa escolhendo as cores de fundo de seu aplicativo, a abertura e a imagem de fundo.
         Na segunda tela é que vem a parte mais interessante. Você pode escolher quais funcionalidades seu aplicativo vai ter. Lembrando que os apps criados na fábrica de aplicativos servem para qualquer sistema operacional.
         Por exemplo, caso alguma de suas turmas, ou sua matéria possuir um blog, ou um grupo ou página no facebook, você pode inseri-las no aplicativo, pois assim, toda vez em qualquer lugar que o aluno acessar o aplicativo ele saberá das últimas atualizações. Você pode criar uma página com imagens, textos, vídeos, grupos de discussões, youtube, twitter e até usando o google maps.

         Talvez alguns fiquem assustados com tudo isso, mas em pouco tempo é fácil se familiarizar. Há possibilidade de criação para qualquer matéria e para fins transdisciplinares também. Lembrando que seu aluno terá acesso em qualquer lugar, pois o aplicativo fica instalado em seu celular, ou tablet.
         Para a instalação, basta baixar o app após terminar de construí-lo. Outra possibilidade é através de código QR.
         Veja que esta não é uma ferramenta que é usado em separado, ao contrário, é necessário alimentá-la com conteúdo e links que interessem ao professor a à matéria. Converse com seus alunos para mais idéias de utilização.

        Seguem alguns aplicativos interessantes criados com esta ferramenta.
Aplicativo para o ENEM.
Clique na imagem para saber mais
Aplicativo sobre a ditadura militar no Brasil. criado por alunos de um colégio de SP.
Clique na imagem para saber mais.

Aplicativo que informa atividades culturais na periferia de SP.
Clique na imagem para saber mais.

        E não se esqueça de compartilhar conosco suas experiências.

CLIQUE AQUI  e veja também o post onde comentamos sobre alguns aplicativos muito legais para usar em sala de aula! Não deixe de conferir!

        Abraço!

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Ei professor, entre na onda dos apps!!

     
          Você sabe o que é um "app"?
          É um software aplicativo, o que conhecemos genericamente como programa ou aplicativo. O termo talvez tenha mais relação com os aplicativos móveis, isto é, aqueles que se instala nos celulares e tablets. O microsoft office é um software aplicativo de escritório, por exemplo. Neste post abordaremos os aplicativos móveis, como os que lotam os tablet e celulares de todos nós.
         Existem muitos aplicativos educacionais em português, ainda que sejam pouquíssimos sem comparados aos que existem em Inglês por exemplo. A maioria deles é gratuita, porém é necessário que o educador verifique se vai lhe ser útil em sua aula.

         A maioria dos aplicativos rodam em Android e em Iphone, que são os sistemas operacionais mais comuns hoje em dia.
         A forma com que o professor vai utilizar o aplicativo vai depender do que pretende o professor e do que o aplicativo faz. Pode ser usado tanto em sala de aula como para atividade extra-aula. 
         Seja claro e estabeleça a utilização juntamente com seus alunos, mas não tenha medo de que eles podem não entender o funcionamento do app, provavelmente eles vão aprender mais rápido do que nós o fizemos.
          Estes aplicativos educacionais prontos que estão disponíveis podem ser muito úteis, porém tem o inconveniente de não estar necessariamente ligado à sua matéria. Para este problema, existe a opção de o professor criar o próprio aplicativo, mesmo sem nenhum conhecimento de programação. Falaremos disso em um outro post. Falaremos ainda em outra oportunidade sobre aplicativos para ensino de idiomas, aguarde!

          Os aplicativos são encontrados pra download em vários sites. Abaixo seguem algumas indicações de aplicativos e explicações de seu funcionamento. Todos os softwares são de terceiros, portanto, não nos responsabilizamos. Todos os links são de apps gratuitos, porém muitos deles provavelmente pedirão pagamento para uma versão mais completa do aplicativo.
         Atenção, lembro novamente que o professor precisa saber qual sistema os alunos possuem para verificar se é compatível. E fácil, basta ver se o programa é para Android, IOS ou Iphone. Outra coisa, a maioria está em inglês:
Nome
Descrição
Link
Sist. Oper.

Truques Matemáticos Lite

Divertido aplicativo que ensina como o aluno pode fazer diversos truques com contas.



Android

Ácidos Nucleicos


O Ácidos Nucleicos é um aplicativo educacional para Android que se propõe a ensinar mais sobre DNA e RNA a alunos de ensino médio. 



Android

 

Visual Anatomy Free



Você pode ter um guia de anatomia no seu smartphone. Este app mostra as principais partes do corpo humano e seu funcionamento. Ao selecionar uma imagem na interface, ela é ampliada e mostra sinais +. Quando um deles é tocado, surgem o nome do órgão e um texto explicativo sobre ele. Em inglês.



Android

Math Pratice

Um jogo divertido para a prática da adição, subtração, multiplicação e divisão.



Android

Aulas de Portugues

Programa feito par o português de Portugal. Programa interessante sobre gramática portuguesa.



Android

Chemistry Mobile Free


Programa para auxiliar estudantes de química.



Android

Calculadora de Química

Este aplicativo, está sendo desenvolvido e distribuído para ajudar alunos que fazem o curso de química e necessitam calcular repetidamente concentrações, massas ou volumes utilizados no preparo de soluções



Android

LookBiologia

LookBio
Aplicativo Oficial do Professor Rodrigo Acácio.
Vários assuntos da biologia abordados de forma curta e direta.Vídeos de apresentação de cada aba, comentados pelo professor.Guia de tópicos dos assuntos de Introdução à Biologia, Bioquímica, Citologia, Taxonomia e Reino dos Seres Vivos. Com uma abordagem diferenciada, o LookBio facilita a consulta da Biologia do ensino médio.



Android

Dicionário de Biologia

Em sua primeira edição, contendo 1085 verbetes, o Dicionário Biologia no texto da Coleção Minidicionários da Editora W procura reunir em um só exemplar alguns dos conceitos mais importantes no estudo da biologia. Com esse aplicativo o estudo de biologia se torna rápido e dinâmico. Através da ferramenta pesquisa o usuário poderá ter um rápido acesso aos verbetes podendo também adicioná-los aos favoritos fazendo com que assim ele crie uma lista personalizada das palavras mais importantes.


Android

ENEMQuiz - Provas do ENEM


Ferrramenta para estudar para o enem


Iphone/ipad

Hand Talk Tradutor para Libras


Extremamente útil. O programa traduz palavras escritas para linguagem de sinais através de um boneco no visor


Iphone/ipad

Beautiful Planet HD

Aplicativo que reúne fotos e detalhes da cultura de inúmeros países espalhados ao redor do mundo. Sua galeria de fotos, com mais de três décadas de imagens, foi produzida pelo fotógrafo Peter Guttman



Iphone/ipad

World Atlas HD

Mapas de todo o mundo disponibilizados pela National Geographic



Iphone/ipad

History: Maps of World

Mapas históricos do planeta Terra



Iphone/ipad

The History Clock

O aplicativo converte o horário atual em um ano e mostra fatos históricos da data



Iphone/ipad

World Book -  This Day in History

Calendário interativo que mostra os eventos históricos diários



Iphone/ipad

         Não se esqueça de compartilhar conosco suas experiências.

CLIQUE AQUI  e veja também o post sobre como você mesmo pode criar aplicativos para suas aulas!

         Um abraço

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Sobre nosso atual modelo de escola

         Neste post, vou comentar um vídeo bacana e que apesar da simplicidade, aborda uma mudança profunda em nosso modelo atual de educação.
         Existe até uma piada sobre isso: Se pudéssemos transportar do século XVII para os dias de hoje alguns profissionais como um médico, um engenheiro e um professor as reações seriam as seguintes - o médico provavelmente ficaria aturdido com os avanços da nossa medicina, o engenheiro maravilhado com as magias da engenharia atual e o professor, bem este não teria problemas, pois a sala de aula lhe seria extremamente familiar, já que não mudou praticamente nada em 2 séculos.
         Sou totalmente partidário de um novo modelo de educação, não só com relação a abordagem sobre tecnologia, mas é minha opinião sobre todo o aspecto de linha de produção que tem a escola atual.
         Paulo Freire ainda estaria longe de se sentir realizado. Mas quem sabe Rubem Alves não tenha encontrado sua escola ideal e talvez a nossa também. Me refiro a Escola da Ponte, em Portugal. Mas isto será tema para outro Post
        Assistam o vídeo e tomem um tempo para refletir sobre. E se sobrar mais um tempo, compartilhe conosco suas impressões deixando anotado nos comentários.


Abraço

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

O Google e suas ferramentas. Google Maps

       
Clique na imagem para ir ao site

         Como prometido, um post sobre o Google Maps -    .
       Para quem não conhece, o site https://maps.google.com.br é um serviço gratuito oferecido pela Google onde é possível fazer a visualização de praticamente toda a superfície da terra, através de fotos de satélites e também de carros que percorrem as cidades fotografando todas as ruas.
        Acessando o site, você pode digitar qualquer endereço no mundo e se divertir visitando locais por todo o planeta podendo verificar detalhes como terrenos, cidades e suas ruas, rios e oceanos. É por sí só uma grande fonte de informação.
         Tenho visto que a maioria dos professores que usam o google maps são de geografia. Mas eu mesmo tenho umas ideias bacanas para utilizar com a História, e tenho certeza de que é possível utilizar esta ferramenta também com Física, Portugues e Matemática.
          Além de mostrar os caminhos, existe dentro da página uma opção para o google street view, que é uma modalidade onde a google fornece a foto das ruas. Para isso a empresa estadunidense conta com frotas de carros em diversas cidades do mundo equipados com inúmeras câmeras. Estes carros passeam pelas ruas da cidade fotografando cada metro. Assim é possível ter uma experiência bastante interessante, vendo placas de lojas e ruas e detalhes que podem ser trabalhados para virar atividades de aula.



         Além disso, e possível ver inúmeros pontes interessantes do planeta. Para se ter idéia da magnitude deste projeto, foram inúmeros os achados da ciência por conta do google maps. Já foram encontrados sítios arqueológicos através do programa, assim como navios naufragados, antigos rios que secaram e até novas montanhas.
Imagem do Google Street View

         O google maps é um site, porém existe um programa derivado deste site, chamada Google Earth. Este programa pode ser baixado e tem ainda mais funcionalidades do que o google Maps.
Extremamente recomendado para educadores.
Clique na imagem para ir ao site

         Para finalizar, não poderíamos de deixar de lembrar que podemos utilizar esta ferramente com muto sucesso também em aulas com temas transversais.
         Se você tem uma experiência bacana, pode e quer compartilhar conosco, seria fantástico.

Até mais!

Algumas referências

http://revistaescola.abril.com.br/geografia/pratica-pedagogica/ensine-cartografia-turma-usando-google-earth-474725.shtml

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Unesco incentiva uso de celulares em aula

         Tenho tido como fonte constantemente para as palestras, um documento da Unesco sobre ensino com tecnologias móveis. O Mobile Learning Teacher Glogal Themes foi editado em 2012. Não é um documento extenso, 22 páginas no total, porém é de uma riqueza de informações típica dos lançados por estes grandes organismos internacionais.
Clique na imagem acima para ler o documento

         O documento se inicia falando sobre o que eles intitulam a Crise Global dos Professores. O estudo da Unesco aponta que para atender às demandas mínimas do ensino fundamental no planeta inteiro, precisaríamos de mais 8,2 milhões de professores até 2015. O maior déficit é claro ocorre nos países pobres ou em desenvolvimento. Na África sub saariana existem países que precisariam quadruplicar o número de professores.
      Sobre isto, no Brasil, além da desvalorização do professor de diversas formas, que está levando à números altos de abandono da profissão, um relatório do MEC aponta os prováveis problemas que iremos enfrentar.  Acesse o documento clicando na imagem abaixo:
 Clique na imagem para ler o relatório
Clique na imagem para ler o relatório


        Além do número alarmante sobre o déficit de profissionais que o documento da Unesco aponta, outro problema é apontado como sendo a falta de preparo da maioria dos professores em lidar com as novas tecnologias em sala de aula. De acordo com o relatório, é inverossímil acreditar que um professor que pretende formar um cidadão crítico e capaz para a sociedade, possa preparar este jovem para uma sociedade digital sem que este mesmo professor trabalhe com o aluno a tecnologia que está no cotidiano.
        O documento dá inúmeros exemplos de iniciativas bem sucedidas mesmo em países como Guiné Bissau e Filipinas, pois onde as escolas e os professores não chegam, chega a telefonia celular e os jovens estão conectados.
       Enfim, o documento gira em torno de mostrar ao professor que é possível utilizar o celular de várias formas em sala de aula.  Inclusive traz uma tabela com motivos para o uso do celular e recomendações de como e porquê fazê-lo. A Esta tabela está recriada logo no final do tópico.
       O Mobile Learning Teacher Glogal Themes é uma leitura muito esclarecedora e indico para quem puder ler. Infelizmente só tenho o link original em Inglês. Mas quem quiser mais detalhes deixe um comentário. Se você tem experiência com o uso de celulares em aula, divida conosco.

Abraço


Ótima experiência de professora com o Facebook

         Acabo de ler um artigo muito legal, de uma professora Estadunidense sobre o uso do facebook em sala de aula.
        
         Segue abaixo a matéria na integra.
     “À medida que educadores e pais se empenham em saber mais sobre as maneiras como sites de redes    sociais, como o Facebook, podem ser catalisadores de aprendizagem na sala de aula, professores podem ainda usar seu poder de relevância para criar experiências significantes na sala de aula.
    Após um semestre de estudo sobre heróis da mitologia grega, minha colega Rachel Mullen e eu queríamos oferecer um tipo diferente de prova final que desafiasse os alunos a modernizar os heróis. Nós inventamos uma unidade abstrata que solicitava aos alunos para criar seu próprio super-herói moderno, sintetizando as qualidades que havíamos explorado ao longo do semestre.
Embora esse projeto fosse de três partes — os alunos teriam de criar um super-herói, indicá-lo ao prêmio de “Herói do ano” e fazer um discurso de aceitação do prêmio como o herói — nós sabíamos o quanto era importante o total entendimento desse personagem para conseguir engajar os alunos nas partes subsequentes do projeto.
      A resposta surgiu na forma de uma página do Facebook. Os alunos desenvolveram seus personagens no formato do Facebook, determinando o perfil de seus personagens, suas publicações no mural, os tipos de pessoas de quem eles seriam amigos e até mesmo o tipo de música apreciado por eles.
      Usar esse processo não só ajudou os alunos a formular, de forma autêntica, a personalidade de seus super-heróis, mas também abriu as portas para uma discussão importante sobre as personalidades on-line, como elas eram criadas e a responsabilidade que todos nós devemos assumir na comunicação em rede social. Essa primeira etapa do projeto foi comprovadamente bem-sucedida e essencial para alcançar as metas do restante da experiência.”
                                                                                                            Sarah Brown Wessling,

                                          Vencedora do prêmio nacional Professora do Ano de 2010 nos Estados Unidos

          É uma experiência simples, mas que mostra o quão eficaz este recurso pode ser.
          Quem tiver outras experiências assim, compartilhe-as conosco!!