quarta-feira, 28 de maio de 2014

A escola e o mundo lá fora



        Carteiras, fileiras, prédios fechados como que em moldes de um presídio. Parece batida esta descrição física da escola mas mesmo nos dias de hoje ela válida. Criticada, abolida em muitos modelos, carimbada como ultrapassada. Mas o que realmente faz a diferença quando ingressamos na sala de aula? Será que necessariamente precisamos derrubar tudo para transformar a escola em um espaço agradável, estimulante e divertido para o aluno?
        A imagem que ilustra este post me fez refletir muito acerca da aula. Entendo como educação tradicional exatamente o que a imagem nos mostra. Crianças com habilidades, vontades, necessidades, vivências e curiosidades diversas tendo que engolir o mesmo conteúdo, com apenas uma resposta certa, uma única forma de refletir e de se expressar. O silêncio é mais valorizado que as perguntas ou até mesmo a alegria do convívio em sala de aula. E não importa se o aluno é criativo, talentoso e quer expressar seu processo de aprendizagem com um desenho, uma paródia, um peça de teatro, apenas redações, escrita sem erros de ortografia são aceitos.
      Com certeza o mundo lá fora é mais interessante, com suas redes sociais onde o importante é compartilhar informação todo o tempo, fazer as pessoas rirem e se interessarem pelo que "vc"tem a dizer. Fotografar o mundo , fazer expressões diferentes nas fotografias, usar um vocabulário próprio de sua geração, cheio de inovações e abreviações que são como códigos indecifráveis para aqueles que não compartilham  deste mundo novo e interessante que encontramos na internet.
         Os saberes são ainda mais variados hoje, temos alunos que são ótimos editores de vídeo, fotógrafos em potencial, comunicadores, artistas. Eles estão produzindo conhecimento todo o tempo e compartilhando, mas dentro da escola muitas vezes se tornam apáticos, porque? Será que o que oferecemos não é dinâmico e interessante suficiente para estimular este aluno a criar , se envolver, compartilhar interesses e impressões ?
          Qual é a sua opinião? 
                                                                                  por Denise Desiderio

sábado, 3 de maio de 2014

Dicas, Videos e Cartilhas sobre segurança na internet

  
   Olá professores e professoras,
       Pessoalmente penso que todos deviam ter uma noção de programação, visto a imersão em que vivemos no mundo virtual, mas isso é assunto pra um post inteiro.
     Objetivamos hoje tratar sobre segurança na internet, para que ao utilizar em suas aulas, o professor possa ter conhecimentos mínimos de como se proteger e a seu aluno.
     Entre os riscos mais comuns aos quais todos estão sujeitos estão:
  1. Exposição a contatos maliciosos ou de alguma forma potencialmente nocivos e que ocorre através de e-mail, chat, jogos online e etc.
  2. Perda de privacidade através, por exemplo, de programas de propaganda que sondam suas buscas no Google e oferecem anúncios parecidos no seu Facebook.
  3. Ciberbullying, tipo de agressão que ocorre travestida de brincadeira. Uma brincadeira ocorre quando as duas partes se divertem, quando uma se diverte e a outra se sente ofendida, o que está ocorrendo não é mais brincadeira e precisa da intervenção de um adulto. A internet potencializa o mal através do efeito viral que uma postagem pode causar.
  4. Exposição a comércio não ético ou não desejado, por exemplo, existe uma grande exposição à publicidade que parece informação, o que leva a fornecimentos de dados pessoais.
     Estamos todos sujeitos a certos riscos no mundo virtual, mas para isso também existem pequenos procedimentos com os quais se habituar para que se possa garantir a segurança sua e do seu aluno em diversos níveis. 
       Pessoalmente listei 5 dicas básicas para que o professor ter sempre em mente. 
      Logo abaixo da lista, disponibilizamos uma pequena galeria links de cartilhas e sites sobre segurança na internet para pais e professores que podem e devem ser aproveitados sem parcimônia, pois o assunto é bem amplo e merece ser visto de forma mais séria e profunda possível.
       E no final do post disponibilizamos três vídeos que também trabalham esta temática. 
      Esperamos assim reunir em um único lugar várias ferramentas para que pais, mães, professores e professoras possam estar melhor preparados na lida diária com a informática

1*Estimule sempre que seus alunos compartilhem suas experiências na internet com seus pais e que se algo os incomoda ou constrange, deve logo ser compartilhado com os pais.
2*Certifique de que seus alunos tenham clareza do fato de que não se devem compartilhar dados pessoais na internet.
3*Atividades educacionais podem proporcionar contato com jovens de outras idades, cidades e até nacionalidades, porém deixe claro que conhecer pessoalmente um amigo virtual não é aconselhável, pois nem sempre as pessoas são aquilo que dizem ser.
4*Deixe bem claro que o respeito no mundo virtual é necessário como no mundo real e que as atividades propostas não podem ser usadas para desrespeitar algum colega. Tente levantar um debate e fazer com que a sala mesmo opine quais são atitudes corretas ou não, quem sabe criar uma lista de regras que não podem ser quebradas durante as atividades pedagógicas, costuma dar certo, pois os próprios alunos vão se policiar.
5*É importante que o professor conheça algumas ferramentas de segurança e filtros de internet. As escolas que disponibilizam internet geralmente têm programas em suas redes que impossibilitam downloads ou instalações de programas sem permissão de um administrador.


 A SaferNet Brasil foi fundada em dezembro de 2005 por um grupo de cientistas da computação, professores, pesquisadores e bacharéis em Direito, a organização surgiu para materializar ações concebidas ao longo de 2004 e 2005, quando os fundadores desenvolveram pesquisas e projetos sociais voltados para o combate à pornografia infantil na Internet brasileira.
 A SaferNet Brasil fundada em dezembro de 2005 por um grupo de cientistas da computação, professores, pesquisadores e bacharéis em Direito, a organização surgiu para materializar ações concebidas ao longo de 2004 e 2005, quando os fundadores desenvolveram pesquisas e projetos sociais voltados para o combate à pornografia infantil na Internet brasileira.

Assista também a estes 5 vídeos que tratam sobre o tema, podem ser usados em sala de aula de várias formas, englobando temas transversais e também aproveitando a interdisciplinaridade


Atenção com o Google


Uma foto inocente pode virar um drama nas mãos erradas


Curta Metragem sobre Ciberbullying



Cuidados no dia a dia da internet


Toda a sua vida está na internet


Obrigado e até a próxima!!